Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/10128
Título: Você tem fome de quê? A percepção de adolescentes bulimicas acerca de seu transtorno alimentar
Autor(es): Stern, Lourdes Ferreira Araujo
Orientador: Viecili, Juliane
Tipo de material: Artigo Científico
Data: 2018
Palavras-chave: Adolescência
Imagem corporal
Bulimia
Tipo de acesso: Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Resumo: O transtorno alimentar bulímico pode ser entendido como patologia associada à insatisfação corporal e ao medo de engordar. Esse fenômeno tido como patológico decorre especialmente da propagação, pela mídia, pelo consumo, pela sociedade e pela cultura de um padrão de corpo ideal, muitas vezes inatingível. E como os adolescentes estão na fase intermediária da vida, na qual se busca a construção de uma identidade, eles constituem um grupo muito vulnerável e propenso ao desenvolvimento da bulimia. Nesse contexto, a presente pesquisa procurou caracterizar a percepção de adolescentes bulímicas acerca de seu transtorno alimentar. Os objetivos específicos da pesquisa pretendiam: a) identificar o significado atribuído ao transtorno alimentar bulímico pelas adolescentes bulímicas; b) caracterizar estratégias utilizadas por adolescentes bulímicas para promoção da imagem corporal idealizada c) identificar a percepção de adolescentes bulímicas acerca de sua imagem corporal; d) identificar motivos para comportamento bulímico de adolescentes bulímicas, e; e) identificar a percepção de adolescentes bulímicas acerca das consequências do comportamento bulímico. Trata-se de uma pesquisa de natureza quali-quantitativa, descritiva e transversal. As participantes foram 22 adolescentes que se encontravam entre a faixa etária de 18 e 19 anos e que utilizavam redes sociais. Elas responderam um questionário online gerado pela plataforma Google Forms.. Como resultado da pesquisa, foi possível verificar que as adolescentes alteram sua rotina alimentar. Também se constatou que as adolescentes se encontram insatisfeitas com o próprio corpo e que a insatisfação corporal é o principal fator contributivo para o desenvolvimento e manutenção do transtorno alimentar bulímico. Observou-se, ademais, que as adolescentes não acreditam que a bulimia pode lhes causar graves consequências, atribuem ao transtorno apenas o benefício do emagrecimento. Nesse contexto pode-se concluir que a imagem corporal preconizada pela sociedade contribui como fator desencadeante e mantenedor da bulimia nas adolescentes.
Aparece nas coleções:Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
artigo cientifico Lourdes Stern.pdfartigo cientifico949.96 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons