Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/10233
Título: Transgeracionalidade entre mulheres da família: reflexos na conjugalidade e na parentalidade
Autor(es): Miranda, Ana Paula de
Orientador: Tonn, Camila Felipe
Tipo de material: Artigo Científico
Data: 2018
Palavras-chave: Transgeracionalidade
Mulher
Família
Conjugalidade
Parentalidade
Modalidade de acesso: Acesso aberto
Resumo: Considerando as transformações pelas quais as mulheres passaram nas últimas décadas e a sua importância dentro da dinâmica familiar, o objetivo dessa pesquisa é fazer um recorte no fenômeno da transgeracionalidade, a fim de compreender a percepção de mulheres sobre a influência das mulheres de gerações familiares anteriores sobre suas relações familiares atuais, particularmente em relação à conjugalidade e à parentalidade. Para tanto, foram realizadas entrevistas semiestruturadas individuais com três mulheres maiores de 18 anos, brancas, heterossexuais, moradoras da região da grande Florianópolis, de classe social média, que estavam em um relacionamento estável e que tinham, pelo menos, um filho em idade escolar. As entrevistas tiveram a duração de aproximadamente duas horas e abordaram questões sobre a família de origem e a família nuclear constituída pela participante, a fim de verificar a influência das gerações familiares anteriores no âmbito da conjugalidade e da parentalidade. Os resultados identificados nos relatos das participantes evidenciaram a busca por relacionamentos conjugais diferentes dos vivenciados pelos pais, em razão dos aspectos negativos observados ao longo da infância e na adolescência. Em relação à parentalidade, observou-se a reprodução de algumas práticas parentais, além da repetição de rituais, comportamentos, mitos e valores como independência, responsabilidade, atenção e cuidado que foram transmitidos pelas famílias de origem, principalmente pela figura materna. Além disso, foram verificadas situações particulares na vida das participantes que evidenciam o estigma de ser mulher na sociedade contemporânea. No que tange à percepção em relação à influência das mulheres de gerações familiares anteriores, as entrevistadas identificaram a transmissão de alguns padrões familiares aos filhos, como comportamentos, valores e o mito da união familiar. Apesar da verificação da reprodução de alguns aspectos da família de origem, importa ressaltar que outras variáveis devem ser consideradas em relação à atuação da mulher no que tange à conjugalidade e à parentalidade, uma vez que a relação estabelecida com o cônjuge e com os filhos é construída dentro de um espaço, tempo e contexto específico que pode influenciar na manutenção ou na desconstrução dos padrões familiares de gerações familiares anteriores. Nesse sentido, a consciência e a reflexão sobre a repetição de padrões adotados pela família de origem podem ser libertadoras, uma vez que possibilitam às mulheres novas formas de posicionar-se em relação à conjugalidade e à parentalidade.
Aparece nas coleções:Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
artigo pronto.pdfPDF Ana Paula de Miranda477.03 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons