Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/15849
Título: Plantas medicinais utilizadas para tratamento da rosácea
Autor(es): Goulart, Talita
Silva, Maria Aparecida Ferreira da
Orientador: Müller, Simony Davet
Tipo de material: Artigo Científico
Data: 2020
Palavras-chave: Plantas medicinais
Fitoterapia
Pele
Rosacea
Modalidade de acesso: Acesso fechado
Resumo: Abstract: Introduction: The use of medicinal plants in health recovery has evolved throughout history, from the simplest to the most complex forms of treatment. Phytotherapy is inserted between the Integrative and Complementary Practices of the Unified Health System and the potential of medicinal plants in the treatment of various diseases is already consolidated in the literature, including those that affect the skin organ. Objective: This research had as main objective to carry out a ten-year integrative review on the plant treatments used for rosacea disease. Methodology: This is an integrative review with the following guiding question: what studies are available in the literature that address treatments based on medicinal plants and derivatives for rosacea disease in the last ten years? The search for the studies was carried out in the following databases: MEDLINE via Pubmed, Science Direct and google academic. This search was carried out from March to May 2020. In addition, a search was carried out on the references of the studies found to maximize bibliographic sources. The Medical Subject Headings (MeSH) was used for the descriptors in Portuguese and English: Medicinal Plants 'or' Phytoterapy 'or' Herbal Medicine "or 'tratament' or 'plants extract' combined with the MESH term 'rosacea' in the period 2010 to 2020. Results: Of the 10 articles analyzed, only one article deals with clinical studies. The others address revision studies, citing medicinal plants, mixtures of plants and plant assets. In addition, studies on the association of plants with synthetic drugs are investigated. The pharmaceutical forms used are varied, such as tea, tablets, extract and creams. Conclusion: The literature is scarce of clinical studies of drugs of plant origin for the of rosacea and points to the need for research with greater methodological rigor, providing scientific evidence for the treatment of the disease.
Resumo: Introdução: O emprego das plantas medicinais na recuperação da saúde tem evoluido ao longo da história, desde as formas mais simples até as mais complexas de tratamentos. A fitoterapia está inserida entre as Práticas Integrativas e Complementares do Sistema Unico de Saúde e já é consolidado na literatura o potencial das plantas medicinais no tratamento de várias doenças, entre estas, as que acometem o órgão pele. Objetivo: Esta pesquisa teve como objetivo principal realizar uma revisão integrativa decenal sobre os tratamentos vegetais utilizados para a doença rosácea. Metodologia: Trata-se de uma revisão integrativa com seguinte pergunta norteadora: quais são os estudos disponibilizados na literatura que abordam os tratamentos a base de plantas medicinais e derivados para a doença rosácea nos últimos dez anos? A busca dos estudos foi realizada nas seguintes bases de dados: MEDLINE via Pubmed, Science Direct e google acadêmico. Esta busca foi realizada no período março a maio de 2020. Em adição, foi realizada busca nas referências dos estudos encontrados para maximizar fontes bibliográficas. O Medical Subject Headings (MeSH) foi utilizado para os descritores nos idiomas português e inglês: Medicinal Plants' or Phytoterapy' or 'Herbal Medicine" or 'tratament' or 'plants extract' combinados com o termo MESH 'rosacea' no período de 2010 a 2020. Resultados: Dos 10 artigos analisados, apenas um artigo trata-se de estudos clínicos. Os demais abordam estudos de revisões, citando plantas medicinais, misturas de plantas e ativos vegetais. Além disso nos estudos são investigados associação de plantas com medicamentos sintéticos. As formas farmacêuticas utilizadas são variadas, como chá, comprimidos, extrato e cremes. Conclusão: A literatura é escassa de estudos clínicos de fármacos de origem vegetal para o tratamento da rosásea e aponta para necessidade de haver pesquisas com maior rigor metodológico, que proporcionem evidências científicas para o tratamento da doença.
Aparece nas coleções:Estética e Cosmética

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC-II-17-07-20-FINAL PDF.pdf
  Until 9999-12-31
Maria Aparecida Ferreira da Silva525.2 kBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia
WhatsApp Image 2020-08-03 at 09.40.35.jpeg
  Until 9999-12-31
Autorização para submissão50.61 kBJPEGVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons