Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/10133
Título: Sentidos e significados atribuídos por policiais militares à experiência de transição entre a atividade e a inatividade profissional
Autor(es): Graziano, Rosana Ferreira de Souza
Orientador: Pretto, Zuleica
Tipo de material: Artigo Científico
Data: 2018
Palavras-chave: Aposentadoria
Policial militar
Identidade profissional
Trabalho
Santa Catarina
Tipo de acesso: Attribution-NonCommercial-NoDerivs 3.0 Brazil
Resumo: A aposentadoria dos policiais militares é um benefício conquistado após cumprirem o tempo de serviço regulamentado. Contudo, nem sempre esse direito à aposentadoria é percebido igualmente entre os Policiais Militares de Santa Catarina. Muitos são os sentimentos que envolvem esse momento de transição da vida ativa para a vida inativa do policial. Esse artigo tem o objetivo de apresentar diferentes sentidos e significados experimentados por Policiais Militares de Santa Catarina e seus conhecimentos acerca de políticas institucionais de apoio para a transição da atividade para a inatividade. Os resultados foram obtidos por meio de entrevistas semiestruturadas, pesquisa documental e anotações colhidas durante o estágio acadêmico obrigatório efetivado. Foi constatado que a maioria dos policiais que estão na reserva e na reforma não conhecem, e não participaram do Programa de Preparação para a Reserva e Aposentadoria, oferecido pela instituição; também percebe-se que os sentimentos e significados atribuídos à aposentadoria diferem de acordo com a carreira dos policiais (oficiais e praças) e são influenciados pelos comportamentos da sociedade, da época histórica, da vida socioeconômica vigentes no momento da passagem para a inatividade e ainda em função do estilo de vida pessoal do policial. A totalidade dos sujeitos entrevistados nutre um bom sentimento pela instituição Polícia Militar de Santa Catarina, reconhecem a importância da corporação para o Estado, se sentem gratificados por pertencerem, ou por terem pertencido a essa instituição centenária, mas vêem a aposentadoria como uma fase da vida em que vão poder viver mais à vontade, sem tantas regras e horários. Reconhecem, entretanto, que seria importante uma melhor preparação para essa etapa da vida.
Aparece nas coleções:Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Artigo Científico Rosana Ferreira de Souza Graziano.pdfArtigo Científico - Rosana Ferreira de Souza Graziano387.69 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons