Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/10315
Título: Separar-se ou não? a reconciliação como opção
Autor(es): Wiggers, Karina Buss
Orientador: Pretto, Zuleica
Tipo de material: Monografia
Data: 2011
Palavras-chave: Reconciliação
Separação
Mediação familiar
Modalidade de acesso: Acesso aberto
Resumo: A mediação familiar é um serviço alternativo ao processo litigioso. Proporciona um espaço de clarificação dos conflitos e expansão da consciência dos mediados em relação a diversos fatores envolvidos na separação conjugal. Neste processo de conscientização, sentimentos podem ser manifestados como o desejo de reconciliação. O objetivo desta pesquisa foi compreender as justificativas para a reconciliação de homens e mulheres que desistiram do divórcio durante a mediação familiar. Quando se trata de relacionamento conjugal um leque de especificidades se abre. Para isto, foi necessário investigar o que as pessoas consideram necessário para o êxito na relação, bem como suas crenças acerca da separação, além de questionar diretamente os motivos para a reconciliação. Foram entrevistados quatro sujeitos, dois homens e duas mulheres, identificados como requerentes, ou seja, aqueles que solicitaram o serviço de mediação em um Fórum da Grande Florianópolis. As entrevistas foram transcritas e analisadas a partir da técnica de análise de conteúdo, tendo caráter qualitativo e exploratório. Os conteúdos advindos das entrevistas foram definidos a partir de categorias formuladas a posteriori. Os entrevistados referiram alguns aspectos como respeito, fidelidade e diálogo como fundamentais para que a relação perdure. Todos esses fatores foram discutidos a partir das perspectivas e formas de entendimento expostas. A influência que os filhos têm para que o casamento se mantenha como uma base sólida foi algo predominante em todas as entrevistas. Verificou-se também que a separação é buscada como uma alternativa diante de conflitos, entretanto, o desejo prioritário identificado não foi o de separação, e sim o de mudanças na relação conjugal. A separação tendo uma conotação negativa foi observada a partir das falas dos entrevistados e problematizou-se a inferência dessas crenças na relação. A partir da análise e discussão dos dados pode-se verificar a complexidade presente nas relações conjugais e a importância de se realizar pesquisas compreendendo essas temáticas.
Aparece nas coleções:Psicologia

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
103136_Karina.pdfMonografia Karina Buss Wiggers654.48 kBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.