Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/12498
Título: Variabilidade interanual da macrofauna bêntica de marismas de spartina alterniflora e bancos não-vegetados no sistema estuarino de Laguna, Santa Catarina
Autor(es): Sartor, Rodrigo Marcelino
Orientador: Netto, Sérgio Antonio
Tipo de material: Artigo Científico
Data: 2020
Palavras-chave: Macrofauna
Estuários
El Niño
Tipo de acesso: Attribution-NonCommercial-ShareAlike 3.0 Brazil
Resumo: The coastal lagoons re highly productive coastal environments, with key functions in the life cycle of many marine organisms, acting as nursery grounds, feeding area and habitat for a wide variety of fish and other animal species. In addition to the local natural and man-made processes that modulate the estuarine benthic associations, large-scale meteorological processes, such as ENSO (El Niño Southern Oscilations), can also influence the dynamics of these ecosystems. The present study aimed to comparatively assess the interannual variability (2013 to 2019) of the benthic macrofauna of Spartina alterniflora marshes and adjacent unvegetated areas in the Laguna Estuarine System (SC). Samplings were performed in the Santo Antônio Lagoon in 3 different sites, separated by a 100 m minimum distance. Each site is encompass 2 habitats - one vegetated (salt marshes) and one unvegetated. Each year, sampling occurred twice in winter and twice in summer. The results of this study showed a clear distinction of the benthic macrofauna between salt marshes and unvegetated areas. This distinction reflected especially a higher faunal density in unvegetated areas, though there were small differences in species composition between these two habitats. However contrary to what was expected, the descriptors of fauna (richness, density and diversity) were not higher in the salt marshes, but were generally higher in the unvegetated areas. As for the macrofauna temporal variability, both seasonal and interannual, our results showed that, independent of environmental complexity, the benthic macrofauna exhibited synchronized seasonal variability. The interannual variability between habitats differed during El Niño periods, when the salt marshes macrofauna remained relatively stable unlike unvegetated areas that show significant increases in density, particularly of opportunistic species such as Monokallipseudes schubarti.
Os sistemas lagunares são ambientes costeiros altamente produtivos, com funções-chave no ciclo de vida de muitos organismos marinhos, atuando como áreas de criação, alimentação e habitats para uma ampla gama de espécies de peixes e outros animais. Além dos processos naturais e artificiais locais que modulam as associações bênticas dos estuários, processos meteorológicos de grande escala, como o ENSO (El Niño Oscilação Sul), também podem influenciar a dinâmica desses ecossistemas. Este estudo objetivou avaliar comparativamente a variabilidade interanual (2013 a 2019) da macrofauna bêntica em marismas de Spartina alterniflora e áreas não-vegetadas adjacentes no Sistema Estuarino de Laguna (SC). As amostragens foram realizadas na lagoa Santo Antônio em 3 sítios distintos, separados por distância mínima de 100 m. Cada sítio abriga 2 habitats adjacentes: vegetado (marisma) e não-vegetado. As amostragens tiveram 50 cm x 50 cm e ocorreram duas vezes no inverno e duas vezes no verão entre os anos de 2013 a 2010. Os resultados deste estudo mostraram uma nítida distinção da macrofauna bêntica entre marismas e áreas não vegetadas. Essa distinção, reflete especialmente uma maior densidade de fauna nas áreas não vegetadas, ainda que existam pequenas diferenças na composição de espécies entre estes dois habitats. No entanto, contrário do esperado, os descritores da fauna (riqueza, densidade e diversidade) não foram maiores nas marismas, mas geralmente maiores nas áreas não vegetadas. Quanto a variabilidade temporal da macrofauna, tanto sazonal como interanual, nossos resultados mostraram que, independente da complexidade do ambiente, a macrofauna bêntica exibiu variabilidade sazonal sincronizada. Já a variabilidade interanual entre os habitats diferiu em períodos de El Niño, quando a macrofauna das marismas se manteve relativamente estável, ao contrário das áreas não vegetadas que mostram expressivos aumentos de densidade, em particular de espécies oportunistas como Monokallipseudes schubarti.
Aparece nas coleções:Ciências Biológicas- Bacharelado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC_RODRIGO MARCELINO SARTOR - RIUNI.pdf
  Until 9999-12-31
PDF - Rodrigo Marcelino Sartor1.39 MBAdobe PDFVisualizar/Abrir    Solictar uma cópia


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons