Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/13033
Título: Desenvolvimento de argamassas de revestimento captoras de CO2 com utilização de agregados reciclados
Autor(es): Camargo, Alessandro Botega
Orientador: Salvador, Renan Pícolo
Tipo de material: Dissertação
Data: 23-Jul-2020
Palavras-chave: Agregado reciclado
Resíduo de construção
Argamassa de revestimento
Captação de CO2
Sustentabilidade
Tipo de acesso: Atribuição-NãoComercial-SemDerivados 3.0 Brasil
Resumo: Os resíduos gerados anualmente pela indústria da construção civil estão entre 0,40 a 0,50 toneladas/habitante, superiores à produção de lixo urbano, pois chega à 70% da massa total de resíduos sólidos urbanos de uma cidade brasileira de médio e grande porte. Estimativas recentes indicam que o volume médio mensal de resíduos em uma usina de concreto é de aproximadamente 2% de sua produção mensal. Embora haja um esforço mundial em pesquisas para utilização de resíduos de construção e demolição em sistemas construtivos, seu emprego ainda é escasso. Tais resíduos apresentam capacidade de absorção de CO2 atmosférico, pois contêm portlandita que pode ser carbonatada. Nesse contexto, esta pesquisa visa a utilização de agregados reciclados provenientes de resíduos de construção para a produção de argamassas de revestimento que tenham a capacidade de captar CO2. Foram produzidas argamassas com diferentes teores de agregados reciclados, que foram caracterizadas por suas propriedades do estado fresco e endurecidas, além de sua capacidade de absorção de CO2. A utilização do agregado reciclado contribuiu para um aumento de 15 % na resistência à flexão e à compressão aos 28 dias em comparação às argamassas produzidas com agregado natural. A argamassa produzida com agregado reciclado apresentou captação de CO2 igual a 8,3% em massa aos 28 dias, enquanto a argamassa contendo agregado natural atingiu apenas 3,9% em massa. Os resultados obtidos indicam que a utilização de agregado reciclado proveniente de resíduo de construção em argamassas de revestimento proporciona captação de CO2, diminuindo sua emissão em 29%.
The amount of residues generated by the Civil Construction industry annually falls between 0.40 to 0.50 ton/inhabitant and is higher than the production of urban waste, as it reaches 70% of the total mass of urban waste in a medium and large Brazilian city. Recent estimates indicate that the monthly volume of residues in a concrete manufacturing plant is around 2% of its monthly production. Although a great effort has been made in research to apply construction waste in construction systems, its use is still incipient. Such residues are capable of absorbing CO2 from the air, as they contain portlandite that may be carbonated. In this context, the objective of this research is to use construction waste to produce rendering mortars capable of absorbing atmospheric CO2. Mortars were produced with different contents of recycled aggregate and their fresh state properties, hardened state properties and CO2 uptake were characterized. The use of recycled aggregates contributed to a 15% increase in flexural and compressive strength at 28 days when compared to mortar produced with natural aggregate. The mortar produced with recycled aggregates presented a CO2 uptake equal to 8.3% by mass at 28 days, while the mortar containing natural aggregate reached only 3.9% by mass. Results indicate that the use of recycled aggregates in rendering mortars provides CO2 uptake, reducing its emissions in 29%.
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Engenharia Civil

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Alessandro-Botega-de-Camargo.pdf1.55 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons