Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/14687
Título: Caracterização, distribuição e abundância do lixo marinho e invertebrados associados (Praia da Vila, Imbituba, SC)
Autor(es): Neves, Danielle do Nascimento
Orientador: Garbelotto, Thereza de Almeida
Tipo de material: Monografia
Data: 2021
Palavras-chave: Resíduo sólido
Ambiente marinho
Diptera
Plástico
Modalidade de acesso: Acesso fechado
Resumo: O lixo marinho é um problema mundial que ameaça a vida marinha, afeta a saúde pública e a economia, isso acontece em decorrência do crescente consumo e devido ao descarte inadequado dos resíduos sólidos após seu uso. Ele pode chegar até as praias através das valas de drenagem das cidades, dos ventos, trazidos pelos mares ou ainda deixados por quem as frequenta. Sabe-se que o lixo deixou de ser um problema isolado e é importante acompanhar sua relação com a fauna. A praia da Vila, localizada em Imbituba, é uma importante praia da região, sendo classificada como extremamente suja por um estudo. Diante disso é importante identificar quais os tipos de lixo marinho mais comuns que chegam nessa praia, quais locais com maior concentração de resíduos ao longo da faixa de areia, e quais os possíveis organismos associados a esses resíduos. Para isso, foram realizadas coletas em sete pontos ao longo da praia da Vila em fevereiro e março de 2021, com transectos de 100m de extensão na zona de detrito, e uma área de busca de 10m laterais. O lixo marinho foi coletado com no mínimo 2cm e foi separado em: plástico, metal, vidro, itens de pesca e outros. Os materiais coletados foram pesados, triados e a fauna associada retirada e identificada no menor nível taxonômico e acondicionada em frascos por categoria de resíduo para quantificação. A análise e correlação das variáveis revelou que o ponto 07 foi o mais representativo, seguido pelo ponto 06 – ambos destacando-se em abundância de resíduos e fauna associada ao sedimento junto ao resíduo. O mês de fevereiro se destacou tanto em quantidade de resíduos quanto em abundância de morfotipos. Os morfotipos predominantes são representantes de Diptera com destaque para imaturos de Dolichopodidae. Em relação aos resíduos, o plástico representou 60,28% de todo o lixo marinho coletado, seguindo a tendência de outros estudos. Com base nisso, é possível observar como os resíduos sólidos persistem nos ambientes marinhos, demonstrando a importância de ações que diminuam o impacto desses nos ambientes.
Aparece nas coleções:Ciências Biológicas- Bacharelado

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
TCC Danielle N. Neves.pdf2.43 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons