Aparelhos de expansão rápida da maxila: Haas, Hyrax e McNamara

Carregando...
Imagem de Miniatura
Data
2019
Tipo de documento
Monografia
Título da Revista
ISSN da Revista
Título de Volume
Área do conhecimento
Ciências da Saúde
Modalidade de acesso
Acesso aberto
Editora
Autores
Pickler, Luiz Fernando Pereira
Orientador
Rosário, Henrique Damian
Coorientador
Resumo
Maxillary constriction is a common craniofacial deformity. Nowadays the most accepted treatment in young patients for this problem is Rapid Maxillary Expansion (RME). This procedure became possible by the development of devices such as Haas, Hyrax and McNamara. This study aimed to describe the history and the mechanism of Haas, Hyrax and McNamara expanders, their indications and to clarify possible differences and results between these devices. Searches in databases such PubMed, LILACS, Web of Science, Science Direct, Scopus were performed. Searches in Gray literature (Google Scholar and Open Gray) were included either. Studies were selected in Portuguese, English and Spanish, without period restriction. The results showed that the RME was satisfactory in all presented devices, with greater orthopedic effects presented by Hyrax device. Deleterious effects tend to decrease in the retention phase and are modulated by growth pattern. It was found that there is potential to induce changes in microbiota and degree of mineralization, but with no clinical repercussion. ERM increased intranasal volume, which is advantageous since maxillary constriction may be associated with respiratory problems. Thus, it was concluded that the Hyrax appliance showed greater orthodontic effects. These differences may not influence the final clinical outcome, since all analyzed devices were efficient, with similar results, in the maxillary transverse expansion.
A atresia maxilar é uma das alterações craniofaciais mais comuns e, atualmente, um dos métodos de tratamentos mais aceitos em pacientes jovens é a Expansão Rápida da Maxila (ERM). Esse procedimento foi possível a partir do desenvolvimento de aparelhos disjuntores, como o de Haas, Hyrax e McNamara. Assim, por meio de uma revisão de literatura com abordagem qualitativa, o presente estudo teve como objetivo conhecer o histórico e mecanismo de ação dos disjuntores de Haas, Hyrax e McNamara, suas indicações na ortodontia e estabelecer possíveis diferenças e resultados entre os aparelhos expansores apresentados. Foram utilizadas as bases de dados PubMed, LILACS, Web of Science, Science Direct, Scopus, além de buscas em literatura cinzenta como no Google Acadêmico e Open Grey. Foram selecionados trabalhos em português, inglês e espanhol, sem restrição quanto ao período de publicação. Os resultados mostraram que a ERM aconteceu de forma satisfatória em todos os aparelhos apresentados, com maiores efeitos ortopédicos no aparelho de Hyrax. Os efeitos deletérios tendem a diminuir na fase de contenção e são compensados pelo padrão de crescimento facial. Há potencial de induzir alterações na microbiota e no grau de mineralização, porém, sem sair da normalidade. A ERM resulta em um aumento de espaço intranasal o que se mostra vantajoso uma vez que atresia maxilar pode estar associada a problemas respiratórios. Concluiu-se, assim, que o aparelho do tipo Hyrax mostrou maiores efeitos ortodônticos. Estas diferenças podem não influenciar o resulto clínico final, uma vez que todos os aparelhos analisados foram eficientes, com resultados semelhantes, na expansão transversal da maxila.

Palavras-chave
Expansor de Haas, Expansor de Hyrax, Expansor de McNamara, Expansão maxilar
Citação
Coleções