Use este identificador para citar ou linkar para este item: https://repositorio.animaeducacao.com.br/handle/ANIMA/3050
Título: Suplementação de resveratrol por via sublingual: efeito sobre marcadores de estresse oxidativo e inflamatórios em pacientes renais crônicos hemodialisados
Autor(es): Hermes, Daniele da Silva
Orientador: Kviecinski, Maicon Roberto
Tipo de material: Dissertação
Data: 2018
Palavras-chave: Resveratrol
Doença renal crônica
Estresse oxidativo
Inflamação
Resumo: Introduction: Inflammation and oxidative stress are risk factors related to cardiovascular disease mortality in patients with chronic kidney disease (CKD). Resveratrol is a promising molecule in the treatment of CKD due to antioxidant and anti-inflammatory effects. Objective: To evaluate the effect of resveratrol on markers of oxidative stress and inflammation in renal hemodialysis patients. Methods: Clinical, randomized, double-blind, placebo-controlled trial of hemodialysis patients. Patients were randomized into two groups: resveratrol and placebo. One group (n = 21) received sublingual tablets containing 50 mg resveratrol two times a day for 30 days and another (n = 21), placebo tablets. Sociodemographic, clinical and anthropometric data were collected at the initial moment of the study. The KDQOL-SFTM quality of life evaluation questionnaire and the determination of oxidative stress markers (lipoperoxidation, GSH, carbonylated protein and myeloperoxidase) and inflammation (PCR, TNF-α, IL-1β, IL-10 and IL -6) before and after intervention. Results: 21 patients (placebo) and 19 (resveratrol) were included in the analyses. In the placebo group 62% were male and in resveratrol, 53%; mean age was 57.48 ± 10.72 and 59.74 ± 12.96 years in the placebo and resveratrol groups, respectively. The primary cause of CKD in the placebo group was polycystic kidney disease and in resveratrol, hypertension. The mean hemodialysis time was 51.24 ± 42.38 and 56.68 ± 44.61 months in the placebo and resveratrol groups, respectively. Baseline anthropometric data did not differ between groups. No statistical difference was observed in terms of quality of life, markers of oxidative and inflammatory stress, when the groups were compared. The approximate mean range of the markers was: 7-9 nmol/mg (TBARS); ~ 2 μmol/mg (GSH), 0.3-0.4 mmol/mg (carbonylated protein) and 5-7 U/mg (MPO). The proportion of patients with detectable levels was <31% (CRP), 5-9% (TNF-α), <5% (IL-1β), 5 -11% (IL-10) and <11% (IL-6). Conclusion: Sublingual resveratrol supplementation was not effective in the dosage tested. For future studies it is suggested to consider: initiating supplementation at earlier stages of CKD, evaluating increased supplementation time and exploring different routes of administration.
Introdução: Inflamação e estresse oxidativo são fatores de risco relacionados à mortalidade por doenças cardiovasculares em pacientes com doença renal crônica (DRC). O resveratrol é uma molécula promissora no tratamento da DRC devido aos efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios. Objetivo: Avaliar o efeito do resveratrol sobre marcadores de estresse oxidativo e inflamação em pacientes renais hemodialisados. Métodos: Ensaio clínico, randomizado, duplo-cego, controlado por placebo, realizado com pacientes hemodialisados. Os pacientes foram randomizados em dois grupos: resveratrol e placebo. Um grupo (n=21) recebeu pastilhas sublinguais com 50 mg de resveratrol duas vezes ao dia por 30 dias e outro (n=21), pastilhas de placebo. Dados sociodemográficos, clínicos e antropométricos foram coletados no momento inicial do estudo. Foi aplicado o questionário de avaliação da qualidade de vida para renais crônicos (KDQOL-SFTM) e realizada dosagem de marcadores de estresse oxidativo (lipoperoxidação, GSH, proteína carbonilada e MPO) e de inflamação (PCR, TNF-α, IL-1β, IL-10 e IL-6) antes e após a intervenção. Resultados: Foram incluídos nas análises: 21 pacientes (placebo) e 19 (resveratrol). No grupo placebo 62% eram do sexo masculino e no resveratrol, 53%, a média de idade foi de 57,48 ± 10,72 e 59,74 ± 12,96 anos no grupo placebo e resveratrol, respectivamente. A principal causa da DRC no grupo placebo foi doença renal policística e no resveratrol, hipertensão arterial. O tempo médio de hemodiálise foi 51,24 ± 42,38 e 56,68 ± 44,61 meses no grupo placebo e resveratrol, respectivamente. Dados antropométricos basais não diferiram entre grupos. Não foi observada diferença estatística em termos de qualidade de vida, marcadores de estresse oxidativo e inflamatórios, quando comparados os grupos. A faixa média aproximada dos marcadores foi: 7 - 9 nmol/mg (TBARS); ~2 µmol/mg (GSH), 0,3 - 0,4 mmol/mg (proteína carbonilada) e 5 – 7 U/mg (MPO). A proporção de pacientes com níveis detectáveis foi de < 31% (PCR), 5 – 9% (TNF-α), < 5% (IL-1β), 5 -11% (IL-10) e < 11% (IL-6). Conclusão: A suplementação de resveratrol por via sublingual não apresentou eficácia na posologia testada. Para os estudos futuros sugere-se considerar: iniciar a suplementação em estágios mais precoces da DRC, avaliar aumento do tempo de suplementação e explorar vias diferentes de administração.
Aparece nas coleções:Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação Daniele Hermes_PPGCS_versão final.pdfDissertação_Daniele da Silva Hermes2.64 MBAdobe PDFThumbnail
Visualizar/Abrir


Este item está licenciada sob uma Licença Creative Commons Creative Commons